Skip to main content

Profissionalização nas oficinas de bicicletas 

Por 13 de novembro de 2021Bicicleta News, Lojistas, Notícias
COMPARTILHE:

A oficina ganhou importância para as lojas de bicicleta ao longo do último ano. Na comparação com 2020, o percentual de faturamento com serviço de mecânica e revisão aumentou 30% em 2021. A manutenção representa, em média, 27,8% dos ganhos das bicicletarias.

Nesse cenário, é fundamental ter cada dia mais confiança nos serviços das lojas. Seja para esportistas, entregadores, ciclistas urbanos, mecânicos ou lojistas, é importante confiar no equipamento e em quem cuida dele.

Para garantir o perfeito funcionamento das bicicletas, formação e informação são aspectos primordiais. Para atender a demanda do mercado por confiabilidade, marcas têm investido em cursos e conteúdos para qualificar profissionais da bicicleta.

No Brasil, duas iniciativas lideram a capacitação profissional no mercado de bicicletas. A Escola Park Tool e o Centro de Formação Proparts (CFP).

Salários melhores para mecânicos

De acordo com a Relação Anual de Informaçõs Sociais (RAIS/ Ministério da Economia), os profissionais que trabalham com mecânica nas lojas de bicicleta ganham um salário mensal de R$ 1.412,23. Um valor cerca de 42% acima do salário mínimo de dezembro de 2019, data do levantamento mais recente. 

Além disso, entre os anos de 2015-2019, houve uma tendência de crescimento de 26% nos rendimentos dos funcionários de bicicletarias – um percentual 5% acima da inflação no período. Os números positivos indicam a demanda do mercado por esses profissionais, mas também dão pistas sobre a importância da qualificação profissional.

Desde 2013, quando chegou ao Brasil, a Escola Park Tool atende lojistas, mecânicos e também entusiastas. Ao longo dos anos, foram mais de cinco mil mecânicos formados e mais de dez mil alunos atendidos.

Mais do que qualificação, a formação e certificação se traduziu em melhoria de salários para mecânicos. Fundador e diretor de ensino da Escola Park Tool no Brasil,  Henrique Zompero, nos contou sobre o papel extremamente importante que a escola desempenha. Desde quando os cursos começaram a ser ministrados, a média salarial dos profissionais dobrou.  

De maneira geral, todos os treinamentos trazem um retorno sustentável para os alunos. Os mecânicos formados pela Escola Park Tool, por exemplo, ganham 40% mais do que os sem a mesma qualificação. Além disso, a escola se tornou referência no mercado para a contratação de profissionais de oficina.

Universidade da bicicleta no Brasil

Representante oficial da SRAM no Brasil, a Proparts partiu da experiência com o Centro de Formação Proparts (CFP) para trazer a plataforma STU (SRAM Technical University). Trata-se da universidade técnica da marca norte-americana com conteúdos que mergulham nos detalhes de toda a gama de produtos SRAM.

Washington Siqueira, Coordenador de Treinamento da Proparts, explica que a plataforma de STU é um complemento para treinamentos presenciais. Conhecimento teórico que dá a base para entender alguns problemas técnicos do dia a dia. 

Voltada somente para profissionais, a STU ajuda a difundir experiências da frente da loja até a oficina. Os conteúdos mais básicos ajudam vendedores a falar com mais propriedade sobre os produtos que equipam as bicicletas, por exemplo.

Todos os conteúdos na plataforma são divididos em camadas que separam o grau de detalhamento das informações. Na primeira, são abordados os benefícios aos ciclistas de cada linha de componentes SRAM. Na segunda camada são abordadas as questões tecnológicas de como funcionam as peças. Já a terceira camada fala da parte técnica e como trabalhar com os componentes.

Para acessar todo o conteúdo, basta realizar um cadastro diretamente no site da STU. O acesso é concedido através das lojas, que não precisam ser parceiras da Proparts. Até agora já são 350 estabelecimentos cadastrados.

Aprendizado de mecânica à distância

Enquanto a STU esteve sempre voltada para o aprendizado teórico a distância, a pandemia foi responsável por adiantar os planos da Escola Park Tool de iniciar sua plataforma de ensino remoto.

O EAD da Escola Park Tool estava previsto para ser lançado no segundo semestre de 2020, mas com o início da pandemia e a suspensão das atividades presenciais foi preciso antecipar. 

O maior desafio foi manter o mesmo suporte aos alunos, mas sem o contato presencial. Os resultados foram positivos. Uma boa consequência de oferecer aprendizado remoto foi possibilitar acesso fácil para novos alunos, que podem inclusive se familiarizar com a metodologia em módulos avulsos antes de investir em uma formação mais completa.

A interação virtual significa facilidade de pesquisa por novos conteúdos por parte dos alunos e também oportunidade para melhorias e adequações nos cursos. As mudanças são sempre vindas da matriz da escola. A diretriz central é beneficiar os alunos e o mercado local e sempre evoluir os processos. Para garantir a qualidade em novas formações, o conteúdo é sempre alinhado com importadores.

Evolução da cultura da bicicleta

Todas as formações trazem consigo a disposição de fazer crescer o universo da bicicleta. Trata-se de educar profissionais para atender melhor seus clientes, mas também para que ajudem a difundir a necessidade de manutenção nos tempos corretos.

Como demonstrou a última pesquisa da Aliança Bike com varejistas, os serviços têm crescido em importância no faturamento das lojas de bicicleta Brasil afora. Qualificar esse espaço é também uma forma de melhorar o faturamento.