Skip to main content

Geração Freestyle: projeto inicia crianças e adolescentes no BMX

Por 27 de outubro de 2022Bicicleta News, Esporte, Notícias
COMPARTILHE:

Desde 2020 a iniciativa dos atletas profissionais Caio Rabisco e Cauan Madona leva a cultura do BMX freestyle às próximas gerações 

 

Como o incentivo ao esporte, desde cedo, pode influenciar na vida de uma pessoa? Para a dupla de amigos, Caio Rabisco e Cauan Madona, foram os esportes radicais que abriram as portas para oportunidades tanto no âmbito profissional, quanto pessoal. Naturais de São Bernardo do Campo, na Região Metropolitana de São Paulo, a dupla de atletas foi responsável por criar um projeto gratuito que utiliza do espaço público para ensinar crianças e adolescentes a praticarem o ciclismo BMX.

Caio explica que, inicialmente, o intuito do Geração Freestyle era levar até o público geral as apresentações e performances que somente esta modalidade do ciclismo proporciona. O atleta conta que, a partir das viagens que realizava através do mundo – principalmente nos EUA e na Europa –  foi possível observar o quanto é comum a venda de shows de BMX Freestyle. Com isso em mente, munido de uma rampa inflável e junto a outros equipamentos necessários para a prática do esporte, o atleta resolveu aplicar essa ideia aqui no Brasil.

“Todo mundo conhece como é andar de bicicleta, mas ver uma pessoa dando manobras a três, quatro, cinco metros de altura, de ponta cabeça, impressiona qualquer um. Lá fora, a venda desses shows é muito comum”, afirma Caio.

A primeira apresentação ocorreu em janeiro de 2020. Os meses seguintes, devido às restrições em decorrência da pandemia, a equipe de Caio Rabisco e Cauan Madona foi forçada a cancelar as atividades, até então por tempo indeterminado. Somente no final daquele ano, quando a flexibilização do isolamento passou a avançar, a dupla decidiu então retomar o projeto, porém em um formato diferente. 

Caio conta que ele e o parceiro resolveram ir até o Parque da Juventude Città Di Maróstica, em São Bernardo do Campo, conhecido como o maior parque de  esportes radicais da América Latina. Percebendo a movimentação de crianças no local, a dupla resolveu apresentar o BMX e ensinar algumas manobras. Com o passar do tempo essa simples atividade foi ganhando forma e, de lá pra cá, já são mais de 150 alunos das mais variadas faixas etárias. 

“Foi se desenvolvendo sozinho, naturalmente. A partir das nossas postagens no instagram foram aparecendo cada vez mais crianças”, conta Caio. 

Na maioria das vezes as aulas são ministradas por Caio e Madona, mas com o retorno dos shows promovidos pelo Geração é comum que, ao final de cada apresentação, os outros atletas da equipe também ajudem no ensino dos pequenos. O projeto possui tanto alunos fixos, quanto esporádicos, e também existem aqueles que optam por agendar aulas particulares. Como a modalidade exige uma bike específica, todo o equipamento é fornecido pela equipe. 

Atualmente, a concentração das aulas gratuitas ainda ocorre no Parque da Juventude Città Di Maróstica, de São Bernardo do Campo, todos os sábados e domingos, das 9h30 às 11h. Entretanto, as aulas particulares podem ser ministradas em outras localidades, como no Parque das Bicicletas (Moema), Centro de Esportes Radicais (Bom Retiro) e no Parque da Mooca, todos na capital paulista. Todo o planejamento vai depender da disponibilidade dos atletas, que em determinadas épocas do ano participam de competições internacionais. 

“Nós unimos o todo do Geração Freestyle, que é fazer o show e depois dar essa vivência para as crianças. Eles se impressionam na hora do show e podem aprender depois”, explica o atleta.

De Geração a Geração

Assim como seus alunos, Caio é fruto de um projeto gratuito, na época fornecido pela própria prefeitura de São Bernardo do Campo. Hoje atleta profissional, ele conta que seu primeiro contato com o ciclismo BMX se deu aos 15 anos por meio de uma iniciativa pública, que atualmente não existe mais. Partindo da própria experiência, segundo ele, quanto mais cedo esse incentivo ao esporte vier, melhor será para a pessoa no futuro: 

“Hoje eu tenho a graça de entrar na pista e ver uma criança de 6 anos de idade que já anda de BMX metade da vida dela. Eu vou fazer 30 anos, então só agora vou ter vivido a metade da minha vida de bicicleta” 

Ainda assim, segundo ele, nunca é tarde para começar. Em suas experiências ministrando aulas, Caio Rabisco afirma que existem pais que demonstram interesse em ingressar no BMX Freestyle a exemplo dos filhos. Além disso, por conta da repercussão do Geração Freestyle, a cidade de São Bernardo do Campo pretende futuramente voltar com o projeto público. No momento, Caio luta para que o período da manhã no parque municipal permaneça para uso exclusivo dos pequenos, mantendo assim seu compromisso com as próximas gerações de atletas. 

Conheça o projeto, acesse: @geracao_freestyle @caiorabisco @madonabmx