Skip to main content

Conheça o Cicloturismo Dona Francisca, o novo circuito da cidade de Joinville

COMPARTILHE:

Após anos no papel, o projeto idealizado pela Associação Pedala Joinville, em parceria com a prefeitura do município, é finalmente lançado.

O evento de lançamento ocorreu na última terça-feira (29) na casa Kruger, distrito de Pirabeiraba (SC), e contou com a participação de cicloturistas locais, autoridades e parceiros para prestigiar o novo circuito. O Cicloturismo Dona Francisca pretende atrair turistas do mundo todo possibilitando a interação com a cultura local e impulsionando a economia da cidade.

O circuito

São 7 roteiros diferentes que compõem o Circuito e somam pouco mais de 304 km ao todo. As rotas passam pelo litoral e pelo interior, com extensas áreas de mata atlântica e outros atrativos naturais, juntamente com espaços urbanos que remontam a história de Joinville (SC). A primeira é a rota do Piraí (com 39 km) compreendida totalmente dentro do município catarinense e está inteiramente implantada, com a sinalização completa.

As demais rotas enfrentam um empecilho com relação à sinalização, pois o percurso delas envolve outros municípios além de Joinville. As rotas do Quiriri e da Estrada Bonita, por exemplo, terminam na cidade de Garuva; já a rota do Rio do Júlio passa pela cidade de Schroeder e finaliza retornando a Joinville. E a rota da Babitonga percorre o município de São Francisco do Sul. Por conta disso há limitação na utilização da verba pública, que foi disponibilizada apenas para o município de Joinville.

O presidente do Pedala Joinville, Arquelau Bonifácio, afirmou que nas próximas semanas pretende resolver a questão junto à Associação dos Municípios do Nordeste de Santa Catarina (AMUNESC): “Há que se administrar agora a questão de verba, para que as rotas possam ser implantadas de uma forma integrada e regional”, disse Arquelau.

Até o momento só é possível ter acesso ao mapa de todo o percurso de forma eletrônica. Ao todo serão cerca de 300 km totalmente sinalizados para o cicloturismo. E o grupo também pretende pedalar mais uma rota para agregar ao circuito todo: a Estrada Mildau, que será incluída no roteiro Quiriri.

A iniciativa

Idealizada em meados de 2015, quando Santa Catarina só possuía 3 circuitos consolidados de cicloturismo – o Vale Europeu, o Caminho das Araucárias, e a rota Costa Verde Mar – a ideia inicial era um grande circuito de ligação entre as rotas tradicionais. Por Joinville dispor de um aeroporto, cicloturistas vindos de outros localidades do país poderiam percorrer aproximadamente 1.200 km de rotas englobando todos os cenários da região.

Evento de lançamento da Rota de Cicloturismo Dona Francisca

Na época, Rodrigo Telles, diretor do Clube de Cicloturismo do Brasil, estava presente e envolvido na criação desses roteiros e colaborou junto a alguns patrocinadores (shoppings centers, hotéis e restaurantes) na arrecadação de fundos para a implementação do projeto. Todo o trecho foi percorrido, mapeado e transformado em uma cartilha, que já em 2016 foi entregue à Prefeitura de Joinville. Entretanto, por falta de engajamento político, o projeto foi adiado e precisou ser modificado para finalmente sair do papel.

O grande circuito que se chamaria “Roteiro dos Príncipes”, posteriormente foi reduzido englobando apenas o entorno da cidade de Joinville; e foi renomeado como “Cicloturismo Dona Francisca”. O objetivo com a reconfiguração do circuito é o de receber cicloturistas que possam fazer o percurso em torno de 5 a 7 dias, acessando outros municípios e conhecendo todos os atrativos culturais da região.

“A gente pensa não só em um público brasileiro, mas inclusive em um público europeu, porque nós temos uma cidade com a colonização alemã muito tradicional aqui” – Arquelau Bonifácio, Presidente do Pedala Joinville

Um ponto a ser destacado é o valor histórico do circuito. A rota do Piraí, por exemplo, termina em uma região conhecida como “Quadrado” ou “Neudorf” (vila nova em alemão), local onde seria possivelmente construído o centro de Joinville. “Conta a história que por um pouco de preguiça do organizador que veio com a primeira barca para colonizar a região, ele acabou ficando aqui na beira do rio, em um lugar muito pantanoso, cheio de mangue, mosquito e doenças (risos) e não foi para lá”, diz Arquelau.

Na região também existem inúmeras famílias cadastradas no programa de Turismo Rural do município, que oferecem visitas guiadas e degustação de produtos orgânicos. Todo o roteiro conta com vários atrativos como a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, os museus da Bicicleta, de Arte, Instituto Juarez Machado, do Sambaqui, entre outros.

“Eu acho que a história de joinville está presente nas trilhas e o roteiro, com certeza, vai inserir os cicloturistas na história e na cultura da cidade”, finalizou Arquelau.

Quanto à oferta de serviços de receptivo – como restaurantes, hospedagem e a preparação dos atrativos para receberem os cicloturistas – Arquelau afirma que é necessário agora um “trabalho de formiguinha” para mapear e elencar todos esses pontos de apoio. A gestão do circuito segue em discussão entre a prefeitura e o grupo Pedala Joinville.

Para mais informações, visite o site Cicloturismo Dona Francisca

O grupo Pedala Joinville

Aliança Bike

Criada em 2003 e formalizada em 2009, a Aliança Bike tem como missão principal fortalecer a economia da bicicleta, além de trabalhar para que mais pessoas pedalem no Brasil. A entidade atua em diversas frentes de trabalho para atingir os objetivos. Conta com mais de 180 associados entre fabricantes, montadores, importadores, distribuidores e lojistas.