Skip to main content

Carta Aberta da Aliança Bike ao presidente eleito

COMPARTILHE:

A Aliança Bike vem parabenizar o Sr. Luiz Inácio Lula da Silva, presidente eleito do Brasil, e desejar que a partir de 1º de janeiro de 2023 o futuro incumbente do governo federal coloque em prática políticas que irão fortalecer o setor de bicicletas e o seu uso por milhões de brasileiras e brasileiros.

Nestas Eleições pouco se falou sobre mobilidade sustentável, transição energética, economia verde. Poucos compromissos foram assumidos pelas candidaturas em áreas afeitas ao universo dos milhões de ciclistas de todo o país. 

Pelo papel inclusivo e transformador que a bicicleta tem na vida dos brasileiros, tomamos a iniciativa de listar alguns desafios iniciais para a próxima gestão:

1. Reforma tributária, desoneração tributária do setor e política industrial. Essencial para o desenvolvimento econômico do Brasil, um novo sistema tributário deve contemplar progressividade de alíquotas a partir da economia verde. Não é aceitável que bicicletas paguem mais impostos do que carros e motos a combustão, por exemplo. Ainda, há urgência na criação de uma política industrial para o setor de bicicletas, inclusive para exportação e melhor equilíbrio da balança comercial.

2. Eco e cicloturismo. A retomada econômica deve estar aliada à preservação dos nossos biomas e o uso público sustentável das áreas naturais. O Brasil tem uma imensa vocação para o cicloturismo e o ecoturismo. Deve-se fortalecer a Rede Nacional de Trilhas de Longo Curso e criar um sistema nacional de fomento e governança do cicloturismo, além de promover, no exterior, o turismo sustentável e de aventura brasileiros.

3. Ciclovias, ciclofaixas, calçadas e bicicletários. Criar linhas exclusivas de financiamento para municípios investirem em infraestrutura para mobilidade ativa em todo o país. Implementar ciclovias em rodovias e estradas federais, inclusive naquelas concedidas à iniciativa privada.

4. Redução de mortes no trânsito. Colocar em prática políticas mais contundentes para a redução de mortes no trânsito em todo o Brasil, especialmente nas rodovias e estradas federais.

5. Esporte. Fortalecer as modalidades esportivas com bicicleta, com aumento real do bolsa-atleta e criação de um sistema público de formação esportiva, das escolas (base) até o alto rendimento. Ampliar uso público nas unidades de conservação para fomento do mountain bike.

6. Financiamento e crédito ao mercado de bicicletas. Através dos bancos públicos (como a Caixa e o BB), criar linhas de crédito e financiamento, com subsídio, para aquisição de bicicletas e bicicletas elétricas, visando promover a mobilidade sustentável. Criar programa específico para entregadores.

São medidas simples e de grande impacto, tanto do ponto de vista social quanto econômico, que beneficiarão milhões de brasileiras e brasileiros, se implementadas. Estamos à disposição para dialogar e construirmos juntos estas agendas.

* * *

Aliança Bike – Associação Brasileira do Setor de Bicicletas

Aliança Bike

Criada em 2003 e formalizada em 2009, a Aliança Bike tem como missão principal fortalecer a economia da bicicleta, além de trabalhar para que mais pessoas pedalem no Brasil. A entidade atua em diversas frentes de trabalho para atingir os objetivos. Conta com mais de 180 associados entre fabricantes, montadores, importadores, distribuidores e lojistas.

Entre na conversa Um comentário

  • João Carmo Vendramim disse:

    A mobilidade urbana no modo bicicleta traz inúmeros benefícios. Investir nesse modo tem vital importância para o exercício de cidadania