Monitoramento Bicicletas Elétricas do Bike Rio

DOWNLOAD DO RELATÓRIO
COMPARTILHE:

Estudo realizado pela Aliança Bike, LABMOB/UFRJ e GIZ, em parceria entre a Tembici, mostra que as e-bikes já são as novas queridinhas dos cariocas. Prova disso é que o número de viagens cresceu 33% no primeiro semestre deste ano, comparando janeiro com junho, sendo que somente no segundo trimestre de 2021, o total de usuários aumentou 26%, segundo dados da Tembici.

O estudo buscou avaliar o sistema desde o lançamento, em setembro de 2020, e mostra aumento no percentual relativo às viagens feitas em bikes elétricas. 

Características de uso

A bike elétrica expande a possibilidade de uso diário, uma vez que facilita deslocamentos mais longos e com diferentes relevos, exigindo menos esforço de quem pedala. Também por esta razão, ela permite a muitas pessoas, que antes combinavam diferentes modais em seus trajetos, usem agora apenas a bike para se locomover, resultando também em economia financeira. Para 12% dos respondentes, a inovação possibilitou a realização de trajetos que antes não eram feitos com a bicicleta convencional, incluindo uma rota que fica entre duas estações onde há um grande aclive (Largo do Machado e Praça David Bem Gurion).

Com relação às principais motivações e impactos positivos percebidos pelos usuários do Bike Rio, que já experimentaram as bicicletas elétricas, podemos destacar a agilidade e conforto durante as viagens, ressaltando a eficiência das e-bikes como meio de transporte nas cidades. Os que responderam o questionário aplicado indicaram que a diminuição do tempo das viagens e do cansaço físico ou suor, o aumento da agilidade no trajeto  e a facilidade para pedalar nas subidas foram as principais vantagens do uso das bicicletas elétricas.

O estudo também percebeu um aumento nos deslocamentos de ida e volta do trabalho com as e-bikes, reforçando a mudança de hábito em relação ao modal de transporte, que passa a ser cada vez mais visto e utilizado. Os percentuais de uso das bikes elétricas entre homens para locomoção diária ao trabalho é de 60% maior que o uso das bikes normais, enquanto entre as mulheres, o uso da e-bike é o dobro da convencional.

Metodologia

O estudo desenvolveu uma pesquisa quali quantitativa que analisou dados primários e secundários. Os dados primários quantitativos foram coletados por meio de um questionário on-line e os primários qualitativos por conversas e entrevistas, realizadas diretamente com colaboradores da Tembici. Dados secundários quantitativos sobre o uso e as viagens realizadas no sistema foram disponibilizados diretamente pela Tembici. 

DOWNLOAD DO RELATÓRIO

Desenvolvimento:
LABMOB (PROURB-UFRJ)
Aliança Bike

Autores:
Victor Andrade, Daniel Guth, Marcela Kanitz

Consultores:
Leticia Quintanilha, Pedro Bastos

Autoria e coordenação de produção:
Fabiana Dias • Mais Argumento

Revisão técnica:
Marcus Régis (GIZ), Bruno Carvalho Doberstein de Magalhães (GIZ)

Design:
Luciano Arnold, Gabi Rocha • Desformatados
Isa Berger, Luciana Sugino • Naru Design

Fotos:
Tembici/Divulgação

Receba nossas novidades por e-mail