Logo
Cadeado fechado Área do associado

Mapa interativo visa a segurança dos ciclistas e pedestres na cidade de Nova Iorque

Karen Nering

30/07/2014 11h07 - Atualizado em 02/12/2016 11h25

Engarrafamento em Nova Iorque. (Foto: Clique para créditos)


A iniciativa “Vision Zero”, lançada no final de abril, foi o jeito encontrado pelos moradores de Nova Iorque, a cidade mais populosa dos Estados Unidos, de se protegerem nas ruas movimentadas – e perigosas – da metrópole.

O mapa interativo, criado pela organização OpenPlans e hospedado no site da prefeitura, mostra detalhadamente as ruas da cidade. A partir daí, o usuário pode reportar as ocorrências encontradas no lugar especifico onde ela ocorreu. Os diferentes pontos coloridos no mapa representam diferentes condições que exigem atenção do pedestre, ciclista e até motoristas.

Alguns dos problemas sinalizados no mapa incluem semáforos que dão pouquíssimo tempo para o pedestre atravessar, má visibilidade, locais onde o sinal vermelho não é respeitado, ruas onde os carros estacionam na via em movimento, entre outros.

Até o momento, mais de 7.500 comentários foram adicionados, e a ferramenta agora conta com uma nova função alinhada ao Google Street View, que permite ao usuário visualizar o local onde as reclamações ou observações foram feitas.


Uma nova visão para Nova Iorque


A organização Transportation Alternatives, baseada em Nova Iorque, foi a idealizadora do relatório Vision Zero em julho de 2011. A TransAlt, que tem como objetivo garantir a segurança e o espaço dos ciclistas, pedestres e usuários do transporte público de Nova Iorque, reuniu no relatório uma série de políticas compreensivas para assegurar a diminuição de mortes e acidentes no trânsito da cidade.

A iniciativa, que deu origem ao mapa interativo, obteve uma conquista importante para a cidade de Nova Iorque no dia 20 deste mês. Foi aprovada uma lei que limita a velocidade dos veículos para 40 km por hora, uma mudança que pode prevenir 6,500 acidentes aos pedestres e ciclistas no período de um ano.

Além de estabelecer o limite para toda a cidade, o Departamento de Transportes aguarda a aprovação do conselho da comunidade local para instalar medidas que visam acalmar o tráfego de veículos, e no futuro diminuir a velocidade para até 32 km por hora.