Logo
Cadeado fechado Área do associado

Industria propõe que tarifas sejam reduzidas pois bicicletas são ecológicas

11/06/2014 11h01 - Atualizado em 02/12/2016 10h41

Representantes da indústria de bicicletas americana e o grupo de defesa PeopleForBikes estão propondo que as tarifas em bicicletas importadas sejam diminuídas ou eliminadas, pois as bikes tem efeito positivo no meio-ambiente.

O Representante de Comércio dos Estados Unidos realizou uma audiência semana passada, para ouvir de grupos empresariais anteriores à Organização Mundial do Comércio sobre a redução de tarifas para produtos ambientalmente amigáveis.

A OMC já havia concordado, em 2012, em reduzir tarifas em 5% até 2015 em 54 categorias de produtos “verdes”. Estão incluídos nessa categoria os painéis solares, turbinas a gás e vendo e conversores catalíticos. Os Estados Unidos vai iniciar uma nova rodada de negociações com membros da OMC para adicionar categorias de produtos ao acordo ambiental.

Bob Margevicius, vice-presidente executivo da Specialized e membro do conselho da Associação de Fornecedores de Produtos para Bicicletas (Bicycle Product Suppliers Association), testemunhou para a BPSA e para o PeopleForBikes.

Margevicius argumentou que, além do status da bicicleta como produto ecológico, as tarifas americanas atuais de até 11% não beneficiam ninguém, uma vez que existe pouca manufatura doméstica de bicicletas.

“As tarifas altas em bicicletas e partes não protegem nenhuma manufatura doméstica. Em vez disso, elas impõem custos desnecessários para qualquer um que queira adquirir esse produto. As tarifas afetam diretamente indivíduos com baixa renda, que tem mais tendência a adotar a bicicleta como meio de transporte”, disse Margevicius, que acredita que é apropriado adicionar as bicicletas na lista de produtos “verdes”.

“Os benefícios de andar de bicicleta são vários, em termos de economia de energia, alivio do congestionamento urbano e a promoção de um modo de vida mais saudável. Bicicletas como meio de transporte representam emissão zero, quando comparadas ao carro movido a gasolina”.

As discussões sobre o Acordo de Produtos Ambientais devem ser iniciadas no mês que vem.


(Fonte: Bicycle Retailer