Logo
Cadeado fechado Área do associado

Bike PE ultrapassa um milhão de viagens em três anos

24/08/2016 16h21 - Atualizado em 02/12/2016 14h57

O programa de compartilhamento de bicicletas Bike PE, que funciona no Recife, Olinda e Jaboatão, superou a marca de um milhão de viagens desde 2013, quando foi lançado. Ao todo são 181 mil usuários cadastrados, que utilizam as 880 bicicletas localizadas nas 80 estações.

Para os ciclistas, o modal representa economia e uma opção de transporte mais saudável. O estudante Gustavo Henrique, 25, chega a poupar até R$ 50 com passagens de ônibus. Ele aluga as bicicletas através do Vale Eletrônico Metropolitano (VEM), de graça. “É uma opção ecologicamente correta e ainda melhora minha saúde. Uso todos os dias para ir ao trabalho e a faculdade. Chego mais rápido”, conta.

O sistema esbarra em algumas dificuldades. “Falta o sentimento de conservação para entender que as bikes também são patrimônio nosso e da cidade. Então muitas vezes tem aparelho danificado por falta de cuidado de quem usa”, lamenta Gustavo.

A estrutura viária também é apontada como um complicador. Segundo a Associação Metropolitana de Ciclistas do Grande Recife (Ameciclo), a cidade tem 27 faixas reservadas para os ciclistas. Desde que o Bike PE foi implementado, foram construídos 15,8 km de rotas cicláveis.

De acordo com a Sertel, empresa que desenvolveu o programa junto ao banco Itaú, Prefeitura do Recife e governo do estado, o contrato limita a oferta de bicicletas nos bairros. Por isso a maioria das estações fica no Centro.

Para utilizar o sistema é preciso se cadastrar pelo aplicativo Bike PE e comprar o passe mensal, no valor de R$ 10, ou usar o VEM para retirar a bike gratuitamente. Quem não é cadastrado no sistema, tem a opção do passe diário, no valor de R$ 5,00, acessível pelo telefone 4003-6056 ou aplicativo. 

 

Fonte: Diário de Pernambuco