Logo
Cadeado fechado Área do associado

Bike Hotel, uma realidade também no Brasil

Walter Magalhães, do Clube de Cicloturismo do Brasil

10/01/2018 17h48 - Atualizado em 10/01/2018 17h50

PDF

Baixar versão em PDF


Em um artigo recente falamos de um tema intitulado “Você sabe o que é um Bike Hotel?“ e explicamos qual seria o conceito de um Bike Hotel, utilizando a nossa experiência em alguns desses estabelecimentos na Itália.

 Para falarmos sobre a iniciativa brasileira faremos um comparativo entre um Bike Hotel que conhecemos na Itália e um Hotel que teve a mesma iniciativa aqui no Brasil, e que tivemos a oportunidade de acompanhar todo processo de transição desde o início.

Em 2012 fomos convidados a conhecer o Hotel Dory, localizado na cidade de Riccione, na costa leste da Itália. É o primeiro Bike Hotel da cidade de Riccione e também um dos que mais recebe ciclistas na Itália. Seu proprietário, Stefano Giuliodori, teve a iniciativa há 20 anos após retornar de uma feira de hotelaria na Alemanha e conhecer pela primeira vez o conceito de um Bike Hotel.

Ele promoveu modificações na estrutura do hotel e desde então organiza passeios ciclísticos pela região. Todos os sábado durante alta estação na Europa chega um grupo de ciclistas de vários países europeus e também da Itália para vivenciar uma experiência ciclística em uma programação de 6 dias de passeios pela região. No final de semana enquanto um grupo se despede do Bike Hotel, um novo grupo é recebido com um coquetel de boas-vindas com a presença extrovertida do seu proprietário.

 Mas o que atrai tantos ciclistas para o Bike Hotel Dory? A resposta pode estar nas várias facilidades oferecidas ao ciclista desde a sua chegada até a sua partida. Além da calorosa receptividade, existe toda uma estrutura a ser oferecida, como as opções de passeios com percursos, distâncias e graus de dificuldades variados, serviços, atividades e o profissionalismo dos guias que trabalham exclusivamente para o Bike Hotel.

Estacionamento seguro para as bicicletas, uma mini oficina com mecânico exclusivo para pequenos reparos e ajustes, local para lavagem das bicicletas, sendo todos os pontos próximos uns dos outros e com acesso direto para a rua, facilitando a saída e a entrada das bicicletas ao interior do Bike Hotel.

Para os passeios, o ciclista pode escolher entre duas opções de sanduíches e uma fruta. Um bebedouro fica à disposição para quem desejar encher as caramanholas com água fresca. No retorno dos passeios, um almoço diferenciado dos demais hóspedes é servido aos ciclistas para reporem as energias gastas durante a pedalada. Ao subirem para as suas dependências, no corredor de cada andar, um cesto fica à disposição dos ciclistas para depositarem os saquinhos de tela com as roupas sujas do pedal para serem encaminhadas à lavanderia. Tudo isso incluso na diária.

Para aqueles que não possuem bicicleta o hotel ainda disponibiliza bicicletas de qualidade e de várias opções de tamanhos de quadros, com seguro incluído para serem alugadas pelo tempo de hospedagem. Com o passar dos anos, vários hotéis da região adotaram o conceito de Bike Hotel e hoje a Itália possui uma associação de Bike Hotéis, a Italy Bike Hotels .

Atravessando o atlântico e retornando ao Brasil, vamos à cidade de Timbó em Santa Catarina. O Timbó Park Hotel com a visão e a sensibilidade de sua proprietária, a empresária Tatiana Honczaryk, a partir de sua própria experiência desenvolveu algo bem próximo ao que vimos na Itália.

O surgimento do Circuito Vale Europeu, o primeiro circuito brasileiro planejado e estruturado exclusivamente para o cicloturismo, cujo início é na cidade de Timbó, proporcionou à Tatiana descobrir a alegria de pedalar, ao percorrer todo o circuito de bicicleta pela primeira vez.Ela então percebeu quais as necessidades do cicloturista, que busca encontrar uma hospedagem estruturada para recebê-lo após um dia de viagem ou um passeio mais longo. Observou que no Brasil os estabelecimentos não possuem infraestrutura e atendimento adequados ao cicloturista.

Aos poucos foi adaptando o seu hotel para receber cicloturistas que chegavam para percorrer o Circuito Vale Europeu. Inicialmente começou improvisando uma sala para guardar as bicicletas. Mas não demorou muito para montar uma estrutura adequada e a oferecer facilidades, serviços e parcerias sem deixar nada a desejar aos Bike Hotéis Italianos. Uma iniciativa que faz do Hotel Timbó Park, quem sabe, no primeiro Bike Hotel brasileiro.

Hoje o hotel  conta com um local seguro para guardar até 60 bicicletas. Possui câmeras de segurança instaladas e no mesmo local, disponibiliza um compressor para a calibragem dos pneus, suporte para manutenção, ponto para lavagem das bicicletas, água filtrada para encher as caramanholas. Um conforto e praticidade que o cicloturista e sua bicicleta agradecem.

O hotel também disponibiliza bicicletas para quem desejar passear e conhecer os pontos turísticos da cidade de forma prazerosa e com maior liberdade.

 Para o primeiro dia de viagem pelo Circuito Vale Europeu, o hotel oferece um kit lanche, com sanduíche e uma fruta. Uma atenção que se estende também aos vegetarianos, pois existe uma opção de lanche também para esse público.

O Timbó Park Hotel não parou por aí, fez parcerias com lojas de bicicletas que oferecem serviços de manutenção, montagem e desmontagem de bicicleta para quem a transporta em uma mala-bike, aluguel de bicicletas mais equipadas, contratação de condutor ou serviços de agência para quem não desejar percorrer o circuito por conta própria.  Também existe a opção de roteiros da região mapeados em GPS que podem ser disponibilizados para o cicloturista mais independente. Até os serviços de uma fisioterapeuta pode ser solicitado pelo hóspede que necessitar de um relaxamento muscular, por exemplo.

Com todo esse trabalho, o Hotel Timbó Park é hoje o que mais recebe ciclistas que chegam à cidade para percorrer o Circuito Vale Europeu.

É importante observar que a ideia de um Bike Hotel movimenta vários setores do mercado a sua volta. Principalmente as lojas do ramo de bicicletas que devem estar atentas ao público praticante do cicloturismo. Um público que cresce a cada dia no Brasil e é carente de equipamentos e acessórios de qualidade mais específicos para essa atividade.

Que esta iniciativa sirva de exemplo para outros hotéis no Brasil, pois encontrar um estabelecimento que entenda suas necessidades sem dúvida deixará o cicloturista muito mais satisfeito, podendo se tornar o grande divulgador do hotel e todos os parceiros envolvidos.