Logo
Cadeado fechado Área do associado

Idéias sobre inovar com o Cicloturismo

Fábio Fes

30/05/2017 11h44 - Atualizado em 26/05/2017 09h22

PDF

Baixar versão em PDF


Trabalhar com o cicloturismo pode ampliar muito as opções e o alcance dos comércios e lojas de bicicleta. Cicloturistas formam um público mais amplo, diverso e que busca diferenciais que atendam suas necessidades que muitas vezes vai além do entendimento tradicional do setor de bicicletas. Durante muitos anos observando exemplos no Brasil e no exterior o Clube de Cicloturismo coleciona algumas ideias que podem ser facilmente implantadas, com investimentos pequenos, mas que podem dar grande retorno e transformar quem volta seu olhar para elas em referência quando se fala em cicloturismo.

 

Empréstimo e/ou aluguel de bicicletas e equipamentos: cresce no mundo todo sistemas de aluguel e empréstimo de bicicletas, isso porque cada vez mais pessoas querem experimentar a bicicleta para mobilidade e viagens, mas nem sempre têm ou estão com suas bicicletas ou querem levá-las. Uma parceria entre distribuidores, importadores, fornecedores e lojistas pode facilitar que os comércios de bicicleta tenham algumas bicicletas preparadas para aluguel, seja para pedaladas pela cidade ou em viagens pela região. Além disso, podem ampliar e formar um conjunto de acessórios e equipamentos que atendam as necessidades de cicloturistas urbanos, rurais e de aventura, formando assim um novo ramo de atuação no aluguel das bicicletas, acessórios e equipamentos, sejam juntos ou separados. E o investimento nisso ainda permite que os comércios ofereçam um mostruário prático para os ciclistas. No Brasil já vemos exemplos de comércios que perceberam e trabalham com sistemas assim em circuitos de cicloturismo.

 

Ter uma biblioteca e materiais de apoio para cicloturistas: livros, revistas, outras publicações sobre bicicletas e cicloturismo, mapas, guias da cidade e regiões, guias de circuitos e locais para cicloturismo, etc. Existem muitos materiais importantes e interessantes que chamam a atenção das pessoas e ciclistas. Em um espaço interessante o comércio de bicicletas pode montar um ambiente onde estes materiais possam ser mostrados e consultados, algo como um espaço de leitura, por exemplo. Isso poderá gerar movimento e mais envolvimento dos ciclistas e até não ciclistas, além de servir como fonte de inspiração e conhecimento para todos.

 

Promover encontros, bate-papos, palestras, exposições fotográficas, cursos: com o avanço do cicloturismo certamente nas cidades é possível encontrar ciclistas locais, ou mesmo de outras localidades, que tenham ricas experiências para compartilhar, histórias para contar e muitas condições de chamar público novo e diverso para os comércios através de encontros para se falar de cicloturismo e outros temas relacionados. Não existe nada como o contato pessoal. Abrir  espaço para isso e também para exposições fotográficas, exibição de vídeos e filmes é algo simples de se fazer, e pode gerar grande movimento e visibilidade, trazer novas pessoas para as lojas, além de promover e incentivar o cicloturismo e os cicloturistas numa via de mão dupla.

 

Oferecer e buscar apoio com ONGs, Associações, Entidades e Grupos de ciclistas: fortalecer movimentos locais e regionais, conhecer o que pensam, o que buscam, como podem se unir e construir algo melhor pelas bicicletas. Ser um local que recebe a bandeira de amigo dos ciclistas. Este pode ser um bom caminho para os comércios se afinizarem mais com o público ciclista. Além de fazer parte de uma causa maior, também podem colher muitos aprendizados, aumento de público, divulgação virtuosa, dentre vários outros benefícios.

 

Parcerias com agências de turismo, hotéis, pousadas, hostels, bares, restaurantes, etc.: há muito tempo os segmentos de turismo realizam parcerias diversas que promovem todos os envolvidos. Ter contato com estes locais e mostrar que o seu comércio ou negócio também pode ser um parceiro, oferecendo o que comentamos acima, é algo simples que pode trazer consigo enorme amplitude de alcance e oportunidades. Uns indicam os outros e todos podem receber o retorno positivo.

 

Diversificar os produtos que comercializam para além do convencional: cicloturistas também se interessam e consomem equipamentos de camping, vestuários de aventura, equipamentos eletrônicos e de segurança. Todos estes tem o potencial de aumentar os movimentos nos negócios e comércio, trazer diversidade e outras fontes de renda. Algumas lojas virtuais já descobriram isso há algum tempo e vêm colhendo os frutos.

 

Capacitar os parceiros e funcionários para o cicloturismo: é fundamental que todos que fazem parte do setor e comércio de bicicletas se capacitem para conhecer mais do cicloturismo, suas particularidades e necessidades. Para tanto seguimos com os trabalhos do Clube, sempre à disposição de colaborar e trabalhar neste sentido. Na série de artigos que publicamos já traçamos o início do caminho. Cabe agora ao setor o necessário olhar e despertar para algo que já movimenta fortemente a economia em outros lugares do mundo. Descobrir novos caminhos para a melhoria se faz cada mais necessário, nisso, inovar, sair do convencional, investir pouco mas de forma inteligente, pode ser o destino